Bruna Linzmeyer mostra o poder dos metalizados, tendência da vez

a Beliza - a regra do jogo

a Beliza – a regra do jogo

Bruna Linzmeyer (Foto: Pedro Loreto)

Sucesso no Oscar e até nas produções do dia a dia, os metalizados já são peça-chave do inverno 2017, e apareceram nas passarelas de todas as temporadas internacionais de moda, de Nova York a Paris.

O tom metalizado, que garante ar futurista a qualquer produção, é a escolha de Bruna Linzmeyer, a Belisa de A Regra do Jogo (TV Globo), para ganhar uma transformação de beauté e estilo comandada pelo beauty artist Max Weber.

Play para conferir uma Bruna em cena como você nunca viu antes, no vídeo dirigido por Pedro Loreto e Max Weber, com Renan Tavares e Tadeu Barauna na assistência de beleza, styling de igor Migon e Bernardo Biaso, câmera de Pedro Loreto, com assistência de Alessandro Fidalgo e edição de Paula Bonorandi. Agradecimento especial ao Studio do Cais.
Fonte – vogue

Gostou - Divulgue

A linda catedral São Luiz-estilo gótico

Igreja em estilo gótico em Caceres-MT

Igreja em estilo gótico em Caceres-MT

A catedral São Luiz foi fundada aos no final dos anos 70, é conhecida como um importante monumento religioso que se ergue na Praça Barão do Rio Branco, em Cáceres, é uma obra realizada pelos padres franciscanos da Ordem Terceira, com ajuda dos amigos da Congregação, da Europa e do povo cacerense. Para tanto, objetiva-se apresentar um breve histórico sobre a Catedral São Luiz de Cáceres-MT e destacar a importância deste monumento para a sociedade cacerense. A metodologia de pesquisa é a qualitativa, de cunho bibliográfico, com levantamento de informações em livros, revistas, sites da internet. Os autores consultados para fundamentação teórica são Biennés (1987), Mendes (1992) e Revista 100 Anos da Diocese de Cáceres (2010). A contribuição deste estudo é para refletir sobre a contribuição da Catedral São Luiz para a imagem da cidade enquanto polo turístico como um belo cartão postal para os visitantes que sentem o desejo de conhecer a Princesinha do Paraguai.

O estilo da Catedral São Luiz

Igreja gótica

A linda igreja em estilo gótico – localizada em Caceres-MT

Qualquer turista ou pessoa que venha visitar Cáceres se encanta com a visão de beleza da Catedral São Luiz. Um monumento em estilo gótico erguido às margens do Rio Paraguai que simboliza fé e devoção de um povo espirituoso. Diante do caráter particular que a Catedral exerce para a sociedade cacerense e para as pessoas que vem para a cidade é que nos propusermos a investigar a história deste monumento importante para a Princesinha do Paraguai.

A vila de São Luís de Cáceres foi fundada em 6 de outubro de 1778 pelo tenente de Dragões Antônio Pinto no Rego e Carvalho, por determinação do quarto governador e capitão-general da capitania de Mato Grosso, Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres.

Cáceres, primeiramente, ganhou o nome de Vila Maria do Paraguai, em homenagem à rainha reinante de Portugal. No início, o povoado de Cáceres não passava de uma aldeia, centrada em torno da igrejinha de São Luiz de França. A Fazenda Jacobina destacava-se na primeira metade do século XIX por ser a maior da província de Mato Grosso em termos de área e produção. Foi lá que Sabino Vieira, chefe da Sabinada, a malograda revolução baiana, refugiou-se e veio a morrer em 1846.

O historiador Natalino Ferreira Mendes conta em seus livros que, em meados do século passado, Vila Maria do Paraguai experimentou algum progresso, graças ao advento do ciclo da indústria extrativa, que tinha seus principais produtos no gado, na borracha e na ipecacuanha, o ouro negro da floresta, e à abertura da navegação fluvial.

As razões para a fundação do povoado foram a necessidade de defesa e incremento da fronteira sudoeste de Mato Grosso; a comunicação entre Vila Bela da Santíssima Trindade e Cuiabá e, pelo rio Paraguai, com a capitania de São Paulo; e a fertilidade do solo no local, com abundantes recursos hídricos.

Em 1860, Vila Maria do Paraguai já contava com sua Câmara Municipal, mas só em 1874 foi elevada à categoria de cidade, com o nome de São Luiz de Cáceres, em homenagem ao padroeiro e ao fundador da cidade. Em 1938, o município passou a se chamar apenas Cáceres. Em fevereiro de 1883, foi assentado na Praça da Matriz, atual praça Barão do Rio Branco, o Marco do Jauru, comemorativo do Tratado de Madri de 1750. Junto com a Catedral de São Luís – cuja construção teve início em 1919, mas só foi concluída em 65. Os dois monumentos estão até hoje entre os principais atrativos turísticos da cidade.

A navegação pelo Rio Paraguai desenvolveu o comércio com Corumbá, Cuiabá e outras praças, e o incremento das atividades agropecuárias e extrativistas fez surgir os estabelecimentos industriais representados pelas usinas de açúcar e as charqueadas de Descalvados e Barranco Vermelho, de grande expressão em suas épocas.

Segundo Mendes (2006), em 1914, São Luís de Cáceres recebeu a visita do ex-presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt que participava da Expedição Roosevelt-Rondon. Conta-se que ele ficou encantado com o comércio local, cujo carro-chefe era a loja “Ao Anjo da Ventura”, de propriedade da firma José Dulce & Cia, que também era dona do vapor Etrúria. As lanchas que deixavam Cáceres com destino a Corumbá levavam poaia (ou ipecacuanha), borracha e produtos como charque e couro de animais e voltavam carregadas de mercadorias finas, como sedas, cristais e louças vindas da Europa.

No início de 1927, Cáceres viveu dois acontecimentos marcantes: a passagem da Coluna Prestes por seus arredores que provocou a fuga de muitos moradores e o pouso do hidroavião italiano Santa Maria, o primeiro a sobrevoar Mato Grosso.

A partir de 1950, as mudanças passaram a ser mais rápidas. No início dos anos 60, foi construída a ponte Marechal Rondon, sobre o rio Paraguai, que facilitou a expansão em direção ao noroeste do Estado. A chegada de uma nova leva migratória, causada pelo desenvolvimento agrícola que projetou polo de produção no Estado de Mato Grosso e no Brasil mudou o perfil de Cáceres, cuja ligação com Cuiabá foi se intensificando à medida em que melhoravam as condições da estrada ligando as duas cidades. É nesse período que ocorre a emancipação dos novos núcleos sócio-econômicos.

Nesse contexto, o Poeta e Historiador Natalino Ferreira Mendes, escreve sobre a cidade de Cáceres e sobre a Catedral São Luiz de forma bastante interessante. Para fundamentar nosso conhecimento sobre a Catedral, procuramos, também, uma abordagem da Revista 100 Anos da Diocese de Cáceres. Nas páginas dessa revista foi possível encontrar um breve resumo da história da construção da Catedral. De acordo com a revista o amplo monumento religioso que se ergue na Praça Barão do Rio Branco, em Cáceres, é uma obra dos padres franciscanos da Ordem Terceira, com ajuda dos amigos da Congregação, da Europa e do povo cacerense.

A sua arquitetura, resultante das transformações pelas quais foi obrigada a passar, é um misto de tendências artísticas. No seu exterior predomina o estilo gótico, com fachada majestosa e as duas torres ainda truncadas. Em seu interior, descortina-se um imenso e amplo santuário que leva, necessariamente, à oração. O coro é amplo com o altar em uma só peça de madeira. Duas grandes estátuas de madeira esculpida e pintada: São Luis, rei da França, e São Francisco, ambos padroeiros da Diocese, formam um conjunto sóbrio e digno do culto a Deus.

A inauguração da igreja deu-se no dia 25 de agosto de 1965, Festa de São Luiz, após quase 50 anos de esforços, paciência e coragem. Durante a construção dos alicerces da igreja, aconteceu a morte súbita do engenheiro Lamounier que, além de idealizador da obra, assumiu o compromisso de uma parte financeira dela. Em 1949, em decorrência de insuficiência nas bases, causada pelas modificações no projeto original, a construção ruiu após a colocação da cobertura. Por 47 anos a igreja ficou em ruínas.

Em 1995, D. Máximo Biennés, assumindo a administração da Diocese de Cáceres, prometeu ao povo cacerense a conclusão da obra da Catedral, cujo projeto foi simplificado pelo arquiteto paulista Benedito Calixto Neto. Isto tornou-se realidade dez anos depois. A catedral São Luiz é um monumento magnífico e funcional que pode ser comparado às belas Catedrais de França, encontrando-se até hoje em perfeito estado de conservação.

Assim configurada, pela história e pelo caráter particular, a Catedral de São Luiz representa um ato de comunhão e de solidariedade entre Igreja e sociedade civil, traduzindo o esforço conjunto de um povo, liderado, em sua última etapa, pelo Bispo D. Máximo Bieenès que marcou, com obras profícuas e duradouras, sua presença na Diocese de Cáceres. É ali que encontra-se também sepultado. Um monumento, enfim, que fez parte da vida da cidade e continuará a figurar no elenco das suas obras memoráveis (BIENNÈS, 1987).

Destacamos que, é possível observar o caráter particular da Catedral pela sua imponência e grandeza. Qualquer pessoa, seja ela católica ou não, se deslumbra com a beleza arquitetônica da Igreja. Podemos dizer, também, que a Igreja dá um charme para a cidade na medida em que identifica a sociedade que aqui vive. A imponência de sua arquitetura e valor simbólico para a sociedade é um marco que faz com que ela seja muito importante para a cidade. Um verdadeiro cartão postal.

Fonte- Cefaprocaceres

Foto – twiter Rose Nakamura

Gostou - Divulgue

A pessoa mais perigosa: a mentirosa

Flores escolhidas com carinho para ilustrar a poesia A vida!
a rosa

rosa alaranjada

OFonte – Angel Rose

dia mais belo: hoje
A coisa mais fácil: errar
O maior obstáculo: o medo
O maior erro: o abandono
A raiz de todos os males: o egoísmo
A distração mais bela: o trabalho
A pior derrota: o desânimo
Os melhores professores: as crianças
A primeira necessidade: comunicar-se
O que traz felicidade: ser útil aos demais
O pior defeito: o mau humor
A pessoa mais perigosa: a mentirosa
O pior sentimento: o rancor
O presente mais belo: o perdão
o mais imprescindível: o lar
A rota mais rápida: o caminho certo
A sensação mais agradável: a paz interior
A maior proteção efetiva: o sorriso
O maior remédio: o otimismo
A maior satisfação: o dever cumprido
A força mais potente do mundo: a fé
As pessoas mais necessárias: os pais
A mais bela de todas as coisas: O AMOR!!!

madre Tereza de Calcultá

Gostou - Divulgue

Tua luz brilha

Tua Luz brilha
Tua luz brilha, mesmo quando não a queres, mesmo quando não a vês.
Poderás esconder-te de ti mesmo, apagando todas as tuas velas, todas as tuas lamparinas; cobrindo com véus as tuas estrelas azuis, nublando com nuvens pesadas o teu céu para que nele nem a lua e nem o sol possam ser vistos…

Mas quando te distraíres, por segundos, ao som de uma canção que invoca a luz do amor, quando te distraíres olhando para o mar ou brincando sem querer com os cata-ventos da tua memória, saberás que brilhaste…

E, se neste momento, puderes soltar tuas amarras e, feito um pássaro, voar pelo teu universo interior, verás quão luminoso é o teu ser.

Saberás não estar sozinho, saberás ser amado e agraciado pelo amor do teu Criador.E tudo isso porque deixaste, sem querer, a tua luz iluminar, o teu ser respirar a vida que brota alegre a cada momento em que te decides por ti mesmo.

Lembra, Deus abençoa e te sorri por isso.

(Estação Paz)

Gostou - Divulgue

1 2 3 8

Pular para a barra de ferramentas